Da educação infantil ao ensino superior no Brasil – Disciplinas, Currículo e Idades

Foi demonstrado que mais da metade da população é analfabeta funcional, ou seja, cerca de 68% da população tem dificuldade em ler e 7% é analfabeta total. Em teoria, o governo brasileiro oferece educação gratuita e obrigatória de 6 a 14 anos, embora seja preferível frequentar centros privados.

A educação no Brasil é controlada principalmente pelo governo federal, então os governos locais estabelecem programas educacionais. O sistema de ensino obrigatório é dividido em dois blocos principais: educação básica e educação superior, embora exista uma educação prévia opcional. No caso das estatais (prefeitura e estaduais) a inscrição pode ser feita online com a ajuda do passo a passo que consta em: http://matriculaescolar2020.com.br/ para cada cidade.

Educação Infantil

Conhecida loucamente como Educação Infantil é completamente voluntária. Existem duas opções:

Creches maternas ou públicas para crianças de 2 a 5 anos. É basicamente um jardim infantil onde as crianças aprendem a socializar.

Jardim para crianças de 3 a 6 anos, com uma abordagem mais acadêmica.
Para determinar a melhor opção, as escolas brasileiras se reúnem com os pais e a criança e, dependendo das habilidades acadêmicas e sociais da criança, é decidido. Ambos os centros são gratuitos.

O único curso obrigatório de educação pré-escolar é o último, chamado de “aulas de alfabetização.

 

Educação básica no Brasil

A escolaridade no Brasil é obrigatória para crianças entre 6 e 14 anos, durante as quais os alunos devem estudar um segundo idioma, geralmente espanhol, inglês ou francês. A prática usual, tanto em escolas públicas quanto privadas, agrupa as crianças de acordo com a idade, embora os alunos que demonstram um nível mais alto possam ser colocados em um nível mais alto. No final do ano acadêmico, os alunos terão que fazer um exame para determinar se passam para o próximo curso ou não. Esta educação básica é dividida em duas etapas:

Ensino fundamental I (ensino fundamental I): de 6 a 10 anos. Os alunos têm apenas um professor e aprimoram suas habilidades em matemática, português, ciências, artes, história, geografia e educação física.

Ensino fundamental II (Ensino Fundamental II): de 11 a 14. O conhecimento adquirido é reforçado e ampliado e pelo menos uma outra língua é estudada.
Existem algumas escolas particulares no Brasil, incluindo as religiosas, que dividem o ano acadêmico em níveis de capacidade acadêmica por classes, no entanto, essa prática é cada vez menos comum.

Educação secundária (Ensino Médio)

Existem três cursos não obrigatórios de 14 a 17 anos, em que os estudantes são preparados para o ensino superior, geralmente para a universidade pública. Os cursos são ministrados, tanto na escola particular que os alunos frequentaram quanto em centros específicos onde eles preparam os alunos para os exames de admissão na universidade. Depois que os alunos passam, eles obtêm um certificado do Ensino Médio.

Existe a possibilidade de cursar o ensino médio técnico por mais quatro anos, focado no mundo do trabalho, obtendo um certificado técnico de nível médio.

Preço médio das matrículas e custos para estudar no Brasil

As escolas públicas no Brasil são gratuitas, mas as taxas das escolas particulares podem custar entre 500 e 1500 reais por mês, embora as escolas internacionais credenciadas possam custar milhares de dólares por mês. Além disso, deve-se ter em mente que as escolas particulares cobram uma taxa de inscrição que corresponde ao pagamento mensal; portanto, será necessário fazer 13 pagamentos mensais por ano.