Para aliviar o tráfego, empresas do Brasil pedem a seus funcionários trabalhem a partir de casa

Geralmente situados em lados opostos, os ‘hackers’ e as empresas de são Paulo encontraram, no entanto, um inimigo comum: o avassalador trânsito da maior cidade da América do Sul, onde se mobilizam diariamente 7.5 milhões de veículos.

Os 11 milhões de habitantes desta megalópole apoiam a iniciativa. Não só por 3 ou 4 horas diárias que perdem no trânsito imóvel, mas também porque é um tema muito sensível socialmente. Os custos e a qualidade do serviço de transporte público foram o estopim de protestos violentos de junho do ano passado.

Além disso, as melhorias em mobilidade prometidas para a Copa do Mundo deste ano foram atrasado e terão um custo de 54 milhões de reais (US$23 milhões) a mais do que o previsto. Uma delas só estará disponível depois de terminar o torneio.

As boas notícias: duas experiências-piloto mostram que o déficit de infra-estrutura pode ser compensado, ao menos em parte, com criatividade e tecnologia.

Um busca o que os paulistas usam menos o carro e mais o transporte público; o outro pretende-se melhorar a qualidade desse transporte através de -passe a redundância – aplicativos móveis.

Viagens sem carro

Dez empresas locais, de tamanho médio, com um total de 1.500 funcionários, ofereceram ao seu pessoal a possibilidade de ter horários flexíveis ou trabalhar a partir de casa. Também fornecem subsídios para aqueles que usam o transporte público, veículos fretados ou de bicicleta. a percentagem de trabalhadores que levam passou de 53% para 50%. O uso do transporte público, por sua vez, aumentou de 29% para 31%. Também o uso de veículos fretados aumentou de 6% para 10%.

A alteração pode parecer pequena, mas é sintomático, tendo em conta que a participação é voluntária. Quando olhamos para os números das empresas de forma individual, percebe-se que há melhores resultados quando a direção da empresa se envolve.

Apoio móvel

Cadê o Ônibus? (Onde está o ônibus?) é parte do esforço para melhorar a qualidade do transporte de massa, dando-lhe mais controle ao usuário. A aplicação foi escolhida como vencedora de um grupo de 15 applicacioness finalistas em um concurso público. A ‘app’ alerta os usuários sobre a quantidade de passageiros que viajam em uma determinada unidade, além de outros problemas em tempo real, como por exemplo, o tráfego e os horários de chegadas dos ônibus para a estação.